Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Eu também passei por estas escolas... :(

Duas noticias sobre escolas por onde passei em dois dias seguidos é dose. Já nada me espanta, já espero tudo. O que verifico é que a violência é cada vez maior e as formas de a combater eficazmente, cada vez menores.

 

Ainda eu não tinha feito estágio, fui colocada na Eb 2,3 Carlos Paredes. foi uma escola que me marcou em vários aspectos de forma positiva: pela amizade e camaradagem entre colegas, pela minha turma de 9º ano só de raparigas com apenas um "meio-rapaz" e que andavam loucas pelo Rui Barros, meu colega na altura, o treinador do peso pesado. Não podiam ver o prof. passar de calções. Pelo ambiente da escola, pela senhora do bar, uma senhora alentejana que fazia umas tostas maravilhosas. Pelo meu 7º ano com alunos especiais. Pelo meu primeiro Rally Papper que terminou numa patuscada. Por tanta coisa boa...!

 

Hoje vejo nas notícias o motivo pelo qual está a ser falada. E fiquei triste. A cada ano de ensino que passa, começo a ver o quanto o ensino se degrada deviso (também) a alunos que não sabem respeitar nada e nem ninguém, sem qualquer pejo ou valores morais.

 

Venho no autocarro para casa e oiço uma senhora atender o telefone. Alguém lhe conta do outro lado, possivelmente um filho, que houve um morto e um ferido na escola que a filha frequenta. Fiquei com as antenas no ar, obviamente. 

Ao ligar o computador e ao acessar a página do sapo deparo-me com a tal notícia. E não é que esta foi a escola onde andei até ao 9º ano? Fiquei novamente triste. 

Na verdade, a escola abrange áreas complicadas mas nunca me passou pela cabeça que pudesse acontecer algo assim. 

 

Ambos os acontecimentos aconteceram no exterior das escolas, mas protagonizados por alunos ou ex-alunos das mesmas. E só não aconteceu lá dentro porque não calhou, avento eu esta hipótese.

 

Agora pergunto eu: não deveriam ser as escolas um sítio super seguro para as nossas crianças? Apercebo-me de cada coisa às vezes, que os pais nem sonham.. e ainda bem.

 

Não se esqueçam que dou aulas em escolas "problemáticas"...

E eu que queria paz...

Desde ontem que só recebo notícias "animadoras". Aliás, ontem andei todo o dia com um nó no estomago. E quando estes nervos me invadem, aplicam-me grande golpes nas "partes baixas".

 

Hoje tive uma reunião de manhã numa das escolas. Recebi um panorama "animador": um turma horrenda com vários miúdos complicados a nível do comportamento. Conselho imediato de todos: não mostrar os dentes e a fazê-lo só mais para o fim do ano. E é aqui que me salta a tampa a favor de quem quer aprender. Porque é que estes caso que não vão lá fazer nada senão abardinar as aulas e impedir que os colegas aprendam, têm permissão para frequentar esta aulas? Elas até são facultativas!

 

Fazer omeletes sem ovos, apelar ao coração e fazer o pino para agradar aos meninos, é dose! Ah e não somos pagos para isso! Agora vamos ver como são as especialidades saloias das outras escolas.

 

Hoje estou assim... de coração apertadinho.

Olhó Passarinho!

 

Tirando o cansaço que tenho em cima, posso dizer que hoje até foi um dia relativamente calmo.

 

First things first. Começei as minhas aulas no galinheiro. assim que lá chego está o loiro-burro de castigo. É verdade que os miúdos loiros de caracóis parecem anjinhos. Mas é apenas isso. Este é um lobo em pele de cordeiro. Resumindo, no recreio dei cabo da cara toda de um colega que ficou todo arranhado graças a uma festinha sua (entenda-se valente empurrão).

 

Na minha aula continuou armado em "chico esperto". Desafiador, mal-educado e mandrião. Pedi-lhe a caderneta do aluno pois admito muita coisa menos insolência e má-criação. Acreditam que o puto se recusou a dar-me e até disse que eu-não-ia-mandar-um-recado-para casa...

Passei-me!!! Levantei-me da cadeira, repentinamente, pronta a enfiar a mão na confusão da mochila do puto.

O meu neurónio lá funcionou e o puto entregou-me a caderneta. Ficou com uma beiçola até ao chão porque pressupôs que eu iria ter peninha dele e não mandar recado para casa. Humpf!

 

Mais 65 escadas e uma subida de rua íngreme sob sol escaldante, e lá vou eu entregar-me nas mãos de Deus, que é como quem diz, vou para o convento.

As aulas aqui foram o máximo! Hoje foi dia de sessão fotográfica geral.

 

Na minha primeira não-aula, estive a arranjar a vestimenta dos putos, a pentear os piolhos de cabelos a escorrer suor pelo calor das brincadeiras. Grande seca! Estive eu a perder imenso tempo a preparar actividades para o Halloween para isto!!! Onde pára o livro de reclamações?!

 

Na turma seguinte, tinha meia dúzia de gatos pingados... Perguntam vocês porquê. Elementar, meus caros blogueiros, a sessão fotográfica continuava. Desta vez era a foto dos irmãos com irmãos. Oh God!

 

Para rematar o dia, nada melhor do que levar, durante todo o percurso de bus, com um velho sentado à minha frente a  tresandar a chulé e com um indiano atrás de mim a espirrar e a sacar escarretas... bulergh!!!

 

Digam lá que a minha vida não é dura...?! Irra!